21 de janeiro de 2010

Tons pastel

Se eu hoje fosse criança, iria desenhar as minhas estrelas polares!

Na folha em branco, iria desenhar o meu pai com óculos e bigode e com notas de música a rodeá-lo! Usaria uma cor forte…talvez um azulão, daqueles que pintam um céu de verão.

A minha mãe iria surgir grande, a preencher grande parte da folha. Teria o cabelo comprido e os olhos grandes. E de certo, os braços chegariam a qualquer ponto da folha…Era provável que a pintasse de várias cores…suaves mas presentes!

A minha mãe é assim na minha vida. Grande. Presente. Suave porque é a única pessoa que me consegue tranquilizar…A minha mãe sempre foi assim na minha vida. Porque bastava-lhe um olhar para perceber o que eu guardava dentro de mim.

Deixou-me ser criança. Fez-me feliz. Deixou-me crescer e mesmo nos momentos de adolescente deprimida, deixou-me crer que eu é que decidia quando precisava do seu colo! Esteve sempre lá…e deu-me asas.
A minha mãe é e será sempre assim na minha vida. Grande. Presente e desenhada em tons pastel. A minha mãe será sempre Eterna.

E hoje, nesta caminhada que é ser mãe, sei que quero ser exactamente assim. Grande, presente e pintada em tons suaves na vida dos meus Amores-maiores.

Parabéns Mãe…

PS…já sabes…logo não te safas sem cantar os “Pa’abens”!!! Quem manda é a Coisa Boa!!!

3 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns Marília!!!
Por ti, e pelo que conseguiste transmitir à tua filha. Espero conseguir ter a tua força para ensinar ao meu tudo o que ele precisa....para tb ganhar asas e voar....
Bj mt gde.
Iolanda.

Coisa Boa disse...

Miga...irás ensinar o Rodrigo a voar, de certo!!!...porque tu também consegues voar!
Beijo

Anónimo disse...

Caraças, Patrícia.....deixas-me de lágrima no olho com tanta facilidade. Sp foi assim. Ainda bem. Adoro-te.
Iolanda.